17 setembro 2007

Crescentes de Setembro

Tu consegues ver? A noite é brilho de purpurina que vem dos teus olhos. Um brilho de criança, do último dia em que usei brilho colorido no papel. Acho que vês, pois se abres o sorriso assim, é porque m'entendes e isso não te causas susto. É assim, feito o teu jeito pequeno que cabe na palma da mão.

Teus cabelos são fios de poesia e a lua é escritora, querendo te acompanhar. Pois se a lua bem entende de letras e cores, que dirá, de amores! Lua poética delicada, há várias partes dela em quantos céus... Mas em nenhum céu, além do meu, há estrelas que brilhem em luzes de dia.

N'algum tempo dessa vida, alguém há de descobrir os vários raios de sol em olhos d'estrelas. E dentro dos teus olhos estrelados fechados, a cidade girando feito carrossel destrambelhado - meus braços rodando, alguma coisa nesses olhos que me deixa e me confunde e me decifra, eu tenho os olhos doidos, doidos, doidos e a cidade ainda girando...

Falava-te de brilhos, um tempo de infância passado e luas-de-mel poetisas em dias eternos de núpcias. Luas que eram também doces, um pote açucarado de carinho - era o mel que brilhava ou a doçura que luzia? De nada sabe-se, em tudo confunde-se e eu apenas sentia as sutilezas e fugia (em vão) de clarões que conseguias por transparecer.

Todas as estrelas, observo e guardo para ti, em potes. Como perigos guardados, a fim de proteger-te de todas as abelhas do mundo, abraçar-te, Idgie e Ruth*. Se te fazes bem assim, simplesmente por brilhar em potes de mim, basta.

Chego para perto e tenho o (teu) gosto de mel: de todos os pontos noturnos ao alcance dos dedos, prefiro os musicados. Temos dó, ré, mi, fá, sol, lá, si, dó e dez sentidos, sentindo por si. Tocamos estrelas a quatro mãos, te alcanço no ritmo de nossas canções e meus olhos doidos, doidos, doidos, são doidos por ti.

Os olhos fechados, doce, doce, doce... E és sim, meu grande pote de mel.


*Personagens do filme "Tomates Verdes e Fritos".

22 comentários:

a clara menina Clara disse...

isso me deixa tão feliz.
mas tããoo feliz.

espero que as estrelas nunca deixem de brilhar e que os seus braços sejam tão grandes ao ponto de tocá-las.

rodopia, meNina!

beeeijo

Belle disse...

tão lindas letras!

=)

Clara Mazini disse...

A cidade sempre gira, e não consigo imaginar nada mais apropriado que um grande pote de mel. Irresistivelmente doce, e ainda cabe nas tuas palavras e nas tuas mãos.

nat disse...

primeira leitura:

IDGIE E RUTH!!!!!!!!!!
tomates verdes fritos... ja foram meu Par perfeito do orkut, acredita?

[primeiro o impacto de ver as duas por aqui.]

nat-nat disse...

[ok, passou..]

um dia eu vou poder virar pra Sofia e dizer que foi muito mais que uma metáfora, quem sabe agradecer pessoalmente?!

sobre o clarão,
brilho de meNina mora em mim mais que da lua.
afinal nasceu com ela, ao contrário desse queijo gigante entre a terra e o sol que serve de mediadora. é, serve, sim... talvez se o sol falasse tudo que tem a dizer assim, diretamente, sem um pedaço de queijo no meio, o ardor e o insuportável de um dia extremamente quente [ e agravado pelo aquecimento global, note bem ] arderia ainda mais a noite, e o insuportável ficaria aqui 24h! já pensou? mas aí, ó, veio o queijo gigante! que passa o dia todo correndo pelo espaço prá chegar bem ali. ali no meio, que nem tu. o sol grita tudo pra ela, mas ela é forte... aguenta... se vira pra gente [ face com a mesma expressão de sempre, é irredutível!] e assopra tudo de volta. doce. romanticamente. e poulain.
seriam por isso as noites tão enigmáticas? por não passarem de metáforas?
meninas moram em mim mais que a lua: eu não suportaria sentir uma face irredutível todos os dias... é pouco humano demais pra Nat! seria insuportável como um dia de verão de aquecimento global ou pior.
meninas moram em mim mais que a lua: me gritam diretamente o que há por dentro (não dói porque a doçura também percorreu o espaço para chegar, e no caso das meninas, ah, ela nunca vai embora!).
e aí sou eu que vou refletir você... "espalhar pro mundo essa cosia linda tua que tu me dá todos os dias", lembra? mas sou lua, não... a não ser que seja Poulain... porque eu trato de espalhar é de dia, de tarde, de noite.

abraço em todos os astros-poulain.
dois abraços em ti, que é lua e sol ao mesmo tempo, todo dia.

eu não sei nem como assinar aqui disse...

imagina se eu vou saber o que escrever! Tá louco, guria! E tu ainda não me disse nada!!!! Ai, eu não sei dizer.... tu desculpa o "silêncio"? é que nada do que eu diga aqui vai ser tão bom...

Mayara disse...

mas menina que setembro e esse tão aquarelado e estrelado e esse?!

eu acho que eu nunca ví um setembro tão bonito em meus anos de vida!

vamos sair rodopiando por ai...até esse setembro acabar e vir outro mês mais colorido e estrelado?!

um bju minha queriuda!

Claudia Lis disse...

Ninoca,

Um SETEMBRO doce, estrelado e ainda, não podemos esquecer que é o mês do início da primavera. Além do brilho dos astros no céu, temos o brilho das plantinhas na nossa terra.

=)

Beijos

Carla Gomides disse...

Não podia deixar de visitar seu quintal colorido que a partir de hoje ele estará ainda mais colorido e cheroso...
Entao posso dizer bem alto aqui,
Que as Flores dessa primavera estão chegando para circular toda as energias boas e favorecer novos [re]começos... com novos aromas, cores, brilhos, posturas, atitudes mentais e afetos.

Fê Probst disse...

Que outra palavra poderia definir este texto poético senão perfeito?
A arte de possuir brilhos estrelares nos olhos e o dom de vê-las, são somente para os bons apaixonados. Os apaixonados que possuem o sentimento do mundo e o mundo nas mãos.

Lindo, lindo, lindo!

Lais Mouriê disse...

[chorando]

yara b . disse...

estrelas e olhos.
doce e sorriso.

isso me lembra alguém e algo.
bom?
foi. é. sempre.

mas dói.

ai ai, meNina.

Camila Ribas disse...

Guria, que blog lindo e que texto lindo! Não sabia que você tinha um e adorei descobrir! :)

Natália Nunes disse...

Doce, docinho!
Coisa linda de se ler, com cor, sabor, melodia...

Beijos, fofa!

thai disse...

aquarela, dona nina, aquarela!

(...) Bê disse...

ô meudeusdocéu que coisa mais lindaaaa pra se ler Dona Nina! ^^

Faz idéia do quanto suas letras têm um brilho especial? E todinhas, juntas, formam um verdadeiro arco-íris diante dos meus olhos?

Todas as vezes que entro nesse seu mundo virtual de letras e sonhos, fico feliz por demais uai! E fico pensando - essa moça tem uma alma tão leve, e tem uma capacidade tão peculiar de fazer as letrinhas dançarem no seu ritmo que dá gosto de ler!-

Beijos com muito carinho Ninoca =]

^^

Lais Mouriê disse...

Vim lê-lo de novo, tava com vontade de chorar lágrimas com gosto de mel, sabe?

Aqui, lembrei-me de vc! Tava lendo "O dia que Júpiter encontrou Saturno", do Caio, sabe? Lembrei que vc gosta muito dele...

E eu gosto muito de vc!!!

(...) Bê disse...

Tenho um convite procê Ninoca! =]

*Recebi, do Blog Baú dos Raros, um convite, para pegar o livro que estivesse mais a mão, abrir na página 61 e transcrever a 5ª frase completa. Feito isso, enviei a mesma brincadeira para mais três blogs amigos!

Beijos querida! ^^

Claudia Lis disse...

MeNinoca,

Aproveitando para ler mais uma vez, aproveitando para perguntar “cadê novo post” e aproveitando para fazer um comentário do comentário. Segue:

Eu ri muito com seu comentário lá, hahahahahaha... O que é aquilo D. Nina? Coitadinha da sua Vó! Vc achava que ela virava o Chupa-cabras? É isso? Eu entendi direito mesmo? Mas como pode Ninoca? Hahahah... Essa foi dose heim! Não conta isso para sua vó peloamordedeus.

;-)

Beijos, sua maluquita

~universo paralelo~ disse...

aah liiindo, lindo.!

Lais Mouriê disse...

Não faça isso comigo, Ninoca, quero te ler... Atualizações, já! hehehe

Bjos de saudades!

Gabibis disse...

É o meu crescente de Abril, porque não temos noção do tempo e nem sabemos se ele realmente existe.
E talvez só ele exista e a distância de quilomêtros se calcule mesmo nele, que é só assim que eu sei calcular distância...
Minha mãe diz que eu estou há umas 6 ou 7 horas de ti. Um pouco mais ou um pouco menos.... não sei. Mas aqui dentro, estou sempre junto, sempre perto.
Dessas 6 ou 7 horas que me afastam de um abraço e das 3 que me separam de um brilho de estrela que eu sei, ainda vai crescer.
Dorme, dorme enquanto é tempo... eu te protejo nesse sono. É o que eu queria dizer.


Pq eu sei, Nina entende Gabibis e entrelinhas.
Te AMO.