03 abril 2007

Intrinsecamente

Percebia as mãos querendo tocar algo. Dedos finos tateavam o ar abafado que insistia em permanecer ali, junto aos móveis, à roupa, à respiração. Quis ficar, sufocar-se entre travesseiros e sentir sozinha, a pele quente. Mas era uma contradição. Saiu sem casaco, chaves nem receios, tomada por oportuna vontade que poucos conheciam.
Cansou de tanto pretérito, queria "agora" e sentiu presente escorrendo-lhe o pescoço. Voz querendo espaço, foi grito abafado pelo barulho dos carros. Alguém ouviu, seu rosto corado denunciava.
Carro ao lado, um sinal, debruçou sobre a janela. Gostou da melodia que tocava - algo eletrônico, causava-lhe coisas.

Tango.

- Eu... Eu só queria...
- Tudo bem, está tudo bem. Não se culpe.
- Nós sabemos que...
- Sim, sabemos.
- Desculpa. Eu devo estar mesmo estr...
- Estranhamente linda e vermelha.

Rosa.

Podia sentir o perfume, enxergava nitidamente aquela situação (des)confortável em que estava metida. Mas queria, embora não soubesse, essencialmente, como fazer. Era o instinto falando mais alto, eram sentimentos mascarados sem falar.

Vermelho.

- Estranhamente linda e vermelha.
- Desculpa. Eu devo estar mesmo estr...
- Sim, sabemos.
- Nós sabemos que...
- Tudo bem, está tudo bem. Não se culpe.
- Eu... Eu só queria...

Boca.

Sabiam sim, que voltar não estava nos planos. Sabiam não haver planos e ela sabia de si. Sabia por duas. Sabiam demais.
Frio por fora, o resto era deliciosamente perceptível. Instintivo, inegável, impulsivo, ir-re-me-di-á-vel.

"[...]hay temblor de gotán
este tango es para vos"

- Sai desse carro, dança comigo essa noite.

15 comentários:

thaís disse...

que coisa linda.
me causou uma sinestesia sem tamanho esse escrito.
pude ver, sentir, saborear e ainda, tocar a cena, tamanho o sentimento que ela pôde transmitir.
ah, e o vento ainda tá batendo aqui.

beijo moça -)

Mel Lüdeman disse...

Adorei o que você escreveu.
Obrigada pelo comentário no meu blog.
Realmente, escrever é algo divino que passa as barreiras do real.
As coisas que tu escreve são muito lindas.
E não pense que ler dicionário é coisa de louco. Também cultivo este hábito.

Um beijo
Mel
=*

Clara disse...

dança até as pernas ficarem bambas e você ter a certeza que a vida valeu a pena por causa daquele momento, em que é uma confusão de seres, de cores e sensações.
estranhamente lindo é ter momentos como esse.

beiijo, nina!

thaís disse...

vou escrever sim sobre abril, afinal, é o meu mês, e pra mim, o mais bonito de todos!
costuma trazer dias que começam com gosto de morango com chocolate, e terminam com gosto de suco de abacaxi com hortelã -)
mas vou escrever sim, querida.
é que antes tinha que registar a minha indignação perante a vida vivida nos dias de hoje :/

um beijo!

kleine kaugummi disse...

dança,
ni-ni,
dança.

por toda vida,
por toda noite.

dança com ele,
dança comigo,
dança consigo.

só ñ pode é parar a música q toca nesse coraçãozim.

=*

kleine kaugummi disse...

ah, abraçar o antunes.

O Arnaldo ??

Já fiiiiz !!

Agora quero o abraço daquele velhinho q mudou minha vida, do veinho q tirou minhas vírgulas e parágrafos . Putz grila, sou é louca por ele, assumidamente ....

Lais Mouriê disse...

Vou te contar.... me deu uma vontade louca de dançar... mas de dançar com ele, com essa pessoa com a qual vc, meNina maga das palavras, me fez imaginar...

Ahhhh, eu quero me apaixonar!!!!!!!!! E dançar ao som de suas palavras!!!!

Bjos fofos e abraços de urso, que gostamos tanto!

yara b . disse...

dança no ritmo de dois corações pulsantes.
dança no ritmo de quatro pernas trêmulas.
dança no ritmo de mãos suadas de sensações.
dança.

nathália disse...

dança a vida toda...

=)

querida, mas que post maravilhoso!
já favoritei você aqui só por causa dele... linda linda,parabens!
;****
(e feliz páscoa, claro!)

Claudia Lis disse...

Oi Ni,

Nossa, que envolvente! Toda essa dança, cores e corpos... Um embalo só. Pude visualizar tudo com a leveza das suas palavras. E agora quero dançar e dançar...

Beijos moça

Mayara disse...

nossa tá lindo! não tem nem o que comentar! rs


o meu amor acho que não vem não ele só aparece no meu pensamento e nas lembranças...=)

Thalyta disse...

Oiii Nina!!
nossa lindo, lindo!
a gente sente bem mais do que entende!(bom, pelomenos eu!!)
Ficou até dificil de lhe escrever!
e até vou ler de novo!!
Bjossss

Rebecca Loise disse...

as tuas letras tem o peso que a leveza precisa para ser tocada! o assunto do texto baila com os versos brancos que fazem o encanto! o diálogo é tão importante que ao avesso também dá sentido! achei lindo, Ninão!

Lui e ponto disse...

Eu não vivo sem você, sabia?

Gabibis disse...

Dançamos todas e tudo e até sem música.


abraça forte.